Tessiner Alpkäse AOP
Tessiner Alpkäse AOP

Formaggio d’alpe ticinese AOP

O queijo alpino é considerado o pioneiro dos queijos de pasta dura e semidura. O primeiro documento escrito que prova que o aproveitamento dos Alpes estava já bem enraizado na sociedade rural de Tessins e que, portanto, foi produzido queijo dos Alpes nesse tempo, remonta ao século XII. A necessidade absoluta de aproveitar todo o território obrigou a que os habitantes dos Alpes levassem para as terras mais altas todo o gado, incluindo o gado leiteiro, com vista à produção de leite, durante os meses de Verão. Gradualmente trabalhavam o mesmo pasto, o qual aproveitavam em diferentes níveis (corti). A distância a que estavam as povoações e a necessidade de fabricar produtos de longa duração obrigou ao desenvolvimento de novas técnicas o que culminou no fabrico de queijo alpino.

Na sua descrição da suíça italiana, de 1783 a 1987, o físico e naturalista suíço Schinz refere o queijo e o aproveitamento dos Alpes nos distritos do Cantão de Tessins em que este produto era fabricado. As suas informações são confirmadas pela descrição dos Alpes e da técnica de fabrico de queijo. Num capítulo do livro «Gotthard End su Biasca e Ia Val Pontirone», tornado público em 1920,
é descrito pormenorizadamente o método de fabrico de queijo alpino. Este método corresponde, exceptuando as directivas de higiene e os novos conhecimentos microbiológicos nas áreas de higiene e fabrico de queijo, que foram sendo introduzidas com o tempo, no essencial ao método utilizado actualmente.

O Formaggio dos Alpes de Tessins pode ser descrito como o legítimo embaixador da agricultura de montanha do cantão de Tessins. A sua particularidade resulta das propriedades especiais da flora dos prados alpinos e do método de fabrico. Nos Alpes da região de Tessins, situados a 1500 e 2400 metros de altitudes, encontram-se ervas muito saborosas e ricas em diversidade. Num prado dos Alpes podemos encontrar até 250 espécies de plantas diferentes, enquanto num prado de vale no máximo existem 20. É precisamente essa diversidade, distinta conforme a montanha, que atribui a este queijo as suas notas de sabor excepcional e aromas únicos.

Não só é especial como também é saudável. Segundo estudos científicos recentes, realizados em colaboração com o centro de pesquisa ALP Liebefeld, foi possível reconhecer ainda mais o valor nutricional e os benefícios para a saúde deste queijo materializado na presença de muitos ácidos gordos não saturados (CLA,Omega 3 e Omega 6).

O queijo alpino do cantão de Tessins é muito mais do que uma iguaria excepcional: é a expressão autêntica da união entre um produto e a terra. É uma arte, um estilo de vida. É cultura, tradição e natureza pura.